Quebra de contrato de experiência: quais são os direitos do trabalhador nesse caso?

A quebra de contrato de experiência assegura alguns direitos ao trabalhador. Saiba exatamente quais são e como proceder nesse caso.

quebra de contrato de experiência

Está em dúvida sobre o que acontece no caso de quebra de contrato de experiência? No post de hoje, vamos falar sobre os dois lados da moeda: quando o contratante quebra o contrato e quando o colaborador o faz.

Rapidamente, você poderá entender quais são os direitos e deveres de cada uma das partes. Tenha uma ótima leitura!

O que é o contrato de experiência?

Quando uma pessoa é contratada pela CLT, é possível que seus primeiros meses de trabalho (ou um período de até 90 dias, mas que não ultrapasse isso) sejam configurados na modalidade de contrato de experiência.

Esse período é fundamental tanto para o empregador quanto para o colaborador entenderem alguns aspectos importantes em relação ao trabalho, sendo eles:

  • o empregador terá plena noção a respeito do trabalho do colaborador, entendendo se ele é capaz de designar as atividades da função e, além disso, se o profissional tem sinergia com a equipe e empresa como um todo;
  • o colaborador poderá avaliar a empresa, refletindo se as atribuições estão condizentes com o que foi proposto durante a fase de entrevista de emprego e se adaptando ao novo trabalho.

Em muitos casos, as pessoas pensam no período de experiência apenas pelo lado do contratante, mas é importante ressaltar que o colaborador deve aproveitá-lo para se certificar de que está confortável com a carga de trabalho, atribuições específicas, clima organizacional e outros pontos importantes para definir o seu sucesso por lá.

O que é a quebra de contrato de experiência?

Caso esse período inicial seja rompido, configura-se a quebra de contrato de experiência. Ela pode ser feita a partir de ação do colaborador ou do contratante.

Quebra de contrato por parte do trabalhador

Caso o colaborador entenda que o melhor é fazer a quebra de contrato nesse período, terá os seguintes direitos resguardados:

  • saldo de salário;
  • férias proporcionais + 1/3;
  • décimo terceiro proporcional.

É importante ficar atento ao contrato como um todo. Se houver uma cláusula de indenização que dê suporte ao contratante, é possível que o colaborador precise fazer um pagamento específico. No entanto, não é algo simples de acontecer. A empresa precisa reunir documentos suficientes que comprovem o prejuízo resultante dessa quebra de contrato, além de entender que existe um limite estabelecido por lei.

A indenização não pode ser maior do que a metade do valor que o trabalhador receberia caso cumprisse o contrato. Ou seja, se o valor do salário de uma pessoa fosse de R$ 2.000 e ela saísse após 1 mês de experiência, o limite da indenização deve ser de no máximo R$ 1.000.

Quebra de contrato por parte do empregador

Caso a quebra de contrato de experiência tenha sido realizada por parte do contratante, é necessário arcar com uma indenização somada ao salário que seria pago até o momento em que o contrato foi rescindido. A regra é a mesma aplicada no caso em que o empregado rompeu o contrato.

Lembrando que isso só ocorre no caso da demissão sem justa causa, ou seja, quando o empregador não realizou nenhum tipo de ação prejudicial à empresa.

Conclusão

E então? Entendeu sobre os direitos de cada parte, colaborador e contratante, nos casos de quebra de contrato de experiência? É, de fato, muito importante ter essas questões muito bem esclarecidas.

Se você gostou de entender melhor sobre o tema, te convidamos a conhecer o blog do Ponto Go. Publicamos uma série de conteúdos pertinentes ao setor de RH/gestão, além de pautas relacionadas aos direitos dos colaboradores, tudo isso com uma linguagem simples e acessível.

0 Curtir
0 Não curti

Ana é Jornalista e trabalha com Marketing Digital desde o ano de 2016. Atua com o desenvolvimento de planos de comunicação, branding e gerenciamento de marcas na web, com foco em blogs corporativos e redes sociais. Além disso, tem experiência escrevendo sobre desenvolvimento pessoal, produtividade, métodos de organização pessoal e temas pertinentes ao universo corporativo em geral.

Deixar uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *